Dedicar-nos ao máximo na busca pelo conhecimento, com o objetivo de oferecer aos nossos pacientes o que há de melhor

Dermolipectomia: entenda tudo sobre esse tipo de cirurgia

Com a chegada do verão, muitas pessoas sonham em ter a famosa barriga chapada para ostentar na praia ou na piscina. Porém, com rotinas cada vez mais agitadas, não é fácil dedicar muitas horas do dia para a prática de exercícios físicos — ou para manter uma alimentação restrita e que mantenha o abdômen dos sonhos.

É nesse momento que muitos recorrem aos procedimentos estéticos, poIs eles são capazes de eliminar o excesso de gordura e proporcionar a aparência desejada. Um desses procedimentos é a dermolipectomia — ela é tão eficaz que permite desenhar uma nova silhueta na região da cintura. Ficou interessada?

Este artigo traz todas as informações que você precisa para ficar por dentro de todos os detalhes sobre esse tipo de cirurgia. Acompanhe!
Afinal, o que é dermolipectomia?

Embora o termo não seja tão conhecido como a abdominoplastia, a dermolipectomia é uma técnica muito eficaz e tem como objetivo remover o excesso de pele ou de gordura da barriga. Em geral, esse procedimento é indicado para quem, com o passar do tempo e por diferentes razões, perdeu a elasticidade da pele e a musculatura da região.

Sem dúvidas, esse aspecto do abdômen colabora para que muitas pessoas desenvolvam problemas de autoestima e aceitação do próprio corpo.

Com a retirada do acúmulo de pele e gordura, os músculos abdominais se reaproximam e o cirurgião plástico tem um quadro mais favorável para modelar a silhueta ao redor da cintura, deixando o visual mais torneado e sutil.

A dermolipectomia também permite que o cirurgião plástico elimine qualquer tipo de estria presente na parte inferior do abdômen. Ainda assim, vale ressaltar que o procedimento não é considerado um tratamento contra estrias. O mais comum é que essa cirurgia seja feita após uma lipoaspiração, caso seja necessário.

Aqui, é importante ressaltar que o método não faz nenhum tipo de modificação acima da altura do umbigo. Para essa finalidade, é indicada a lipoabdominoplastia, que une a lipoaspiração à abdominoplastia.
Como essa cirurgia é realizada?

Para realizar a dermolipectomia, o cirurgião plástico aplicará a anestesia. Esta, por sua vez, poderá ser geral ou peridural — muito indicada para bloquear a dor e outras sensações em apenas uma região do corpo, normalmente, da cintura para baixo.

Em seguida, o profissional inicia a incisão na região abdominal, deslocando a pele e o tecido de gordura de toda a musculatura. Após essa etapa, é possível remover todo o acúmulo indesejado e, assim, remodelar a região.

Por fim, a equipe médica faz a sutura de forma cuidadosa, para que o paciente não tenha problemas durante a recuperação e os tecidos possam se reconstruir da melhor maneira. Todo o procedimento tem duração aproximada de 2 horas e o período indicado para a internação é de 1 dia — com alta hospitalar no dia seguinte após a cirurgia.

Quando falamos sobre essa técnica, muitas pessoas ainda imaginam que o umbigo é removido e refeito em seguida. No entanto, essa informação é equivocada, já que a cicatriz umbilical não é modificada.

Diferentemente do que imaginam, o umbigo é transplantado e, caso seja necessário, o profissional faz uma pequena remodelagem para que o visual fique harmônico e o mais natural possível.
Para quem a dermolipectomia é indicada?

Como já mencionamos, a dermolipectomia é indicada para pacientes que apresentam alto nível de flacidez abdominal. Tal aspecto flácido pode ser causado por gravidez, ganho excessivo de peso, emagrecimento repentino ou outros motivos que fazem com que a região fique distendida e com excesso de pele.

É importante saber que esses procedimentos são indicados para pessoas que não conseguem reverter a flacidez, mesmo investindo em exercícios físicos ou dietas restritas. Tanto homens quanto mulheres podem optar pelo tratamento.

Contudo, somente um profissional qualificado na área poderá analisar a situação e indicar o melhor tratamento para cada caso. Todos os pacientes que realizam essa cirurgia devem ter em mente que não se trata de um processo de emagrecimento, mas de remodelagem do corpo.
Quais são os resultados esperados após o procedimento?

Nos primeiros meses após a cirurgia, é comum que o paciente sinta uma certa insensibilidade na região do abdômen. Outros efeitos constantes para quem passou recentemente pelo procedimento são inchaço ou edema. De qualquer modo, esses sintomas desaparecem com o passar do tempo.

Com a retirada de pele e o excesso de gordura, consequentemente, o paciente terá uma diminuição no peso corporal. Esse volume poderá variar de acordo com a quantidade de acúmulo retirado da região. Após a cirurgia, muitos pacientes se sentem desmotivados, pois não veem resultados significados na balança.

Para evitar frustrações, você deverá compreender que o real resultado desse procedimento se dará nas proporções do tronco, bem como no contorno da silhueta — e não somente na balança. Segundo os especialistas, boa parte dos pacientes que retiram pouca pele e gordura são aqueles que apresentam os melhores resultados estéticos.

Leave a Comment

(0 Comments)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso Ajudar?